A Temida Enxaqueca

Enxaqueca

Conheça os alimentos que podem melhorar (ou piorar) essa doença!

Considerada pela OMS, Organização Mundial de Saúde, como uma das doenças mais debilitantes do mundo, a enxaqueca é um mal que afeta 15% da população em algum momento da vida. Podendo ser desencadeada por fatores internos e externos, variando com mais ou menos dor de pessoa para pessoa, ela atinge mais mulheres caucasianas, na faixa dos 40 anos, não tendo, no entanto, um padrão.

QUER SABER QUAIS ALIMENTOS PODEM CAUSAR OU POTENCIALIZAR ESSE DESCONFORTO?

  • Leite e derivados.

Intercale ou substitua com produtos à base de soja, como tofu, ou ainda bebidas e queijos vegetais, feitos a partir de arroz, amêndoa, macadâmia, linhaça, gergelim e quinoa.

  • Café, chá mate, chá preto, chá verde, refrigerantes de Cola.

Substitua por chás de ervas calmantes (erva doce, capim limão, erva cidreira) ou de frutas e café descafeinado.

  • Vinho tinto, champagne, bebidas alcoólicas.

Modere o consumo e inclua a ingestão com água ou água de coco.

  • Temperos prontos.

Além de ter poder inflamatório ao organismo (uma das causas da enxaqueca), eles carregam um alto teor de sódio, podendo aumentar o risco de hipertensão.

  • Aspartame, encontrado em adoçantes e produtos dietéticos.

Prefira adoçantes naturais como o estévia.

E OS ALIMENTOS QUE AUXILIAM?

  1. Gengibre.

  2. Pimenta vermelha.

  3. Arroz, aveia, banana, abacate e nozes

  4. Salmão, atum, sardinha, linhaça e chia (fontes de Ômega 3 – poder anti-inflamatório).

  5. Vegetais verde escuros, como brócolis, rúcula, couve, assim como grão de bico e melão (fontes de Magnésio, um potente relaxante muscular).

  6. Água e chás desintoxicantes, como boldo, alcachofra e carqueja.

Mas lembre-se sempre de consultar um médico e seu nutricionista! ;)

Nutricionista responsável Fabiane Almeida | CRN 8 6363

Fontes de apoio:

1. PAHIM, S. Luciane; MENEZES, B. M. Ana; LIMA, Rosângela. Prevalência e fatores associados à enxaqueca na população adulta de Pelotas, RS. Rev Saúde Pública, 2006; 40(4):692-8.

2. PASCHOAL, V.; NAVES, A.; FONSECA, A.B.B.L. Nutrição Clínica Funcional: dos princípios à prática clínica. 1 ed. São Paulo: VP editora, 2008.

Tagged:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Imagem CAPTCHA

*